You are here


Quando se trata de controle de baratas, a espécie Blattella germanica é comumente citada como a de maior importância econômica entre as outras existentes, além de ser uma das pragas urbanas de controle mais desafiador para as empresas desinsetizadoras.
As razões para o difícil manejo dessa espécie são bastante complexas, porém o entendimento de alguns fatores do seu ciclo de vida e comportamento pode ajudar em uma boa prática com resultados eficazes.

Medidas preventivas e corretivas

Fontes de Alimentos

• Remover restos de comida, proteger alimentos, lavar latas e garrafas antes do descarte e esvaziar diariamente latas de lixo.

Limpeza

• Limpar regularmente o ambiente, se atentando a locais que acumulam gordura como pias, fogões, bancadas, coifas e exaustores.

Controle Integrado

Aplicações Localizadas

• As pulverizações localizadas em frestas, fendas e cantos proporcionam o controle de Blattella germanica. Dependendo das características do ambiente, pode-se optar por dois tipos de ações: desalojante e não desalojante.

Desalojante

Recomendada em ambientes menos sensíveis e onde não há preocupação com a dispersão de pragas no ambiente.

Não desalojante

Recomendada em ambientes mais sensíveis para controle de uma alta infestação, sem que haja dispersão de baratas pelo ambiente.

Aplicações Residuais

• Aplicação de barreira química em perímetro com efeito residual, para manutenção do ambiente por tempo prolongado.

Controle Gel

O controle através da isca em gel abrange pontos que geralmente são descobertos pelas pulverizações convencionais, fazendo com que a própria barata busque o produto.