You are here

Os mosquitos são insetos sugadores de sangue de pessoas e animais, e os principais transmissores de agentes causadores de: Dengue, Febre Chikungunya, Febre Amarela, Febre Zika, Filariose, entre outras. A busca por tratamentos que reduzam a população dos mosquitos, melhorando a qualidade de vida das pessoas, é pauta constante dentro das agências governamentais, e também uma enorme oportunidade às empresas controladoras de pragas. No Brasil, as principais espécies de mosquitos são o Culex quinquefasciatus e Aedes aegypti. Para maior eficiência na redução populacional destas espécies, sugerimos os seguintes passos:

PASSO 1: MEDIDAS PREVENTIVAS E CORRETIVAS

Auxilie seu cliente na identificação e eliminação dos criadouros e locais com acúmulo de àgua. Exemplos: bebedouros de animais de estimação, vasos, baldes, entulhos, vegetações e outros locais que necessitam de tratamento com larvicidas.

REDUZA AS CHANCES DE PICADA

Oriente o seu cliente a utilizar barreiras físicas –como telas– em janelas e portas. Lembre que o uso de repelentes também é indispensável.

PASSO 2 - O CONTROLE: LARVAS E INSETOS ADULTOS

A estratégia de controle com maior eficácia, invariável e necessariamente, as fases larval e adulta do mosquito. Estima-se que 80% da infestação está sob a forma imatura, ou seja, caso não haja o controle larval, a infestação poderá persistir no ambiente.

PASSO 3 - REAPLICAÇÃO

Utilizar os produtos adequados para cada situação: