You are here

Syngenta expande programa Manejo Consciente para cultura do algodão

Sustentabilidade
10.07.2019

Tendo figurado entre os cinco maiores produtores mundiais de algodão nos últimos anos, pareado a países como China e Índia, o Brasil destaca-se em primeiro quando o critério é produtividade do cultivo em solos firmes. Além disso, a importância do País como exportador da pluma tem crescido, bem como seu consumo interno. A soma de tais fatores indica a relevância da cultura para o agronegócio e economia brasileira, e também condiciona a atenção que a Syngenta, líder global em defensivos agrícolas, direciona ao tema. Com foco na evolução sustentável da cotonicultura brasileira, a empresa expande seu programa Manejo Consciente à cultura do algodão.

Em um evento realizado na última sexta-feira (5) em Luis Eduardo Magalhães (BA), em parceria com a Fundação Bahia - que tem como objetivo gerar informações para atender as necessidades dos agricultores da região -, a Syngenta reuniu os principais produtores de algodão do Estado, bem como pesquisadores e consultorias ligadas à cultura. O objetivo da empresa foi apresentar sua visão e recomendações sobre as melhores práticas para o manejo sustentável de doenças para o algodoeiro.

“O algodão é uma das culturas mais tradicionais do Brasil e a Syngenta reconhece e assume seu papel fundamental no que se refere ao controle de pragas e doenças que ameaçam a produtividade dessa cultura, como, por exemplo, Ramularia, Ramulose e mancha-alvo. Estamos certos de que a experiência positiva e o alto nível de conhecimento que acumulamos por conta da evolução do Manejo Consciente aplicado à soja permitirão que nossa contribuição à sustentabilidade da cultura do algodão seja ainda mais representativa”, afirma Paulo Laurente, Gerente de Fungicidas da Syngenta. O executivo também reforça que muitos pesquisadores e consultores ligados à cotonicultura apoiam a iniciativa e endossam os 10 princípios que o programa da Syngenta recomenda aos produtores.

De acordo com Seiji Mizote, produtor de São Desiderio (BA), que esteve presente no encontro, o manejo consciente é fundamental para a sustentabilidade do negócio, pois é essencial usarmos os defensivos de forma racional, sempre levando em conta os custos de produção. “Eu acredito que o uso de produtos fungicidas multissítios e a rotação de modos de ação é fundamental para o controle de doenças no algodão. Desta forma, parabenizo a Syngenta pelo evento orientando e auxiliando o produtor no manejo de doenças na cultura do Algodão”, afirmou.

Para o consultor Luís H. Kasuya (BA), que também participou do evento, adotar o manejo consciente significa usar os produtos de forma adequada e, sobretudo, preservar a eficácia das moléculas. “Ao longo dos anos, temos visto que as doenças estão menos sensíveis a alguns defensivos. Por isso, manejar corretamente os produtos é uma maneira de revertermos o problema e, assim, contribuirmos para a sustentabilidade de toda a cadeia produtiva do algodão”, explicou. “O Brasil é uma referência de produtividade e qualidade na cotonicultura e ações como essa são essenciais para nos mantermos nesse patamar.”

A programação do evento também contemplou apresentações da Embrapa, que dividiu a abertura junto à Fundação Bahia, e do Presidente da Eisa Interagrícola, que tratou sobre tendências mundiais para o mercado do algodão.

Mais sobre o Manejo Consciente Syngenta
Lançado em 2016 pela Syngenta, o programa Manejo Consciente nasceu da urgência em unir atores ligados à agricultura com foco no manejo adequado de doenças que ameaçam a soja.

De forma cada vez mais rápida, os patógenos têm se tornado menos sensíveis a todos os grupos químicos existentes. E é preciso lembrar que só surgirão novos grupos químicos para o controle de doenças em meados da próxima década. Se este processo continuar, corre-se o risco de, em pouco tempo, o produtor não possuir mais ferramentas eficientes para controlar doenças, prejudicando largamente a produtividade de cultivos essenciais ao País.

A utilização correta dos defensivos, a assistência técnica no campo e o planejamento detalhado das safras são as principais ferramentas para o controle de doenças no campo. Para evitar a resistência a estas ferramentas e todos os riscos que isso implica, é necessário executar ações de mitigação. Por isso, além de chamar a atenção para o problema, por meio do Programa Manejo Consciente, a Syngenta tem disseminado as melhores práticas agrícolas de forma efetiva, com o apoio de técnicos, pesquisadores e demais entidades do agronegócio.

Sobre a Syngenta
A Syngenta é uma empresa líder no segmento agrícola, que tem como ambição ajudar a nutrir o mundo e cuidar do planeta. Visamos melhorar a sustentabilidade, qualidade e segurança da agricultura por meio de ciência de ponta e soluções inovadoras para os cultivos. Nossas tecnologias permitem que milhões de agricultores em todo o mundo façam melhor uso dos recursos agrícolas disponíveis. Temos 28 mil funcionários em mais de 90 países trabalhando para transformar a forma como os cultivos são plantados e manejados. Por meio de parceiras, colaborações e o The Good Growth Plan, nosso Plano de Agricultura Sustentável, nos comprometemos a aumentar a produtividade nas fazendas, resgatar terras da degradação, promover a biodiversidade e revitalizar comunidades rurais. Para saber mais, acesse www.syngenta.com.br www.portalsyngenta.com.br. Siga-nos no Facebook em facebook.com/SyngentaBrasil/, no Twitter® em @SyngentaBrasil e no Instagram em @SyngentaBrasil.