You are here

Indicação de Alysson Paolinelli ao prêmio Nobel da Paz conta com apoio de 119 instituições e 24 países

Notícia
10.03.2021

Com uma trajetória marcada pela defesa de uma agricultura moderna, sustentável e equilibrada, o ex-ministro e ex-secretário da Agricultura de Minas Gerais, Alysson Paolinelli, foi responsável por revolucionar as bases brasileira e mundial do setor, estabelecendo pilares até hoje utilizados como referência por produtores, entidades e por toda a indústria do agro.

Por estas e outras tantas conquistas ao longo da carreira, o agrônomo foi oficialmente indicado para o Prêmio Nobel da Paz 2021. A nomeação, entregue ao Conselho Norueguês do Nobel, partiu da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP), e conta com a apoio de 119 instituições brasileiras e internacionais, que representam 24 países.

Enquanto Ministro da Agricultura, entre 1974 e 1979, Paolinelli foi responsável por impulsionar a expansão da Embrapa, além de criar e implementar a Embrater (Empresa Brasileira de Assistência Técnica e Extensão Rural) e promover a ocupação econômica do Cerrado, medidas que fomentaram e contribuíram, de forma inédita, para o avanço do agronegócio brasileiro. Atualmente, é presidente do Instituto Fórum do Futuro, que promove o desenvolvimento de uma agricultura tropical sustentável.

Entre as diversas premiações que Paolinelli acumulou ao longo de sua carreira, destaca-se o World Food Prize, prêmio internacional que recebeu em 2006. Seu objetivo é reconhecer o trabalho de pessoas que contribuíram de forma relevante para a segurança alimentar mundial, e foi criado por Norman Borlaug, que por sua vez é o único engenheiro agrônomo a conquistar o Nobel da Paz até hoje.

Pai da agricultura brasileira

A indicação de Paolinelli ao Prêmio Nobel da Paz também conta com o apoio da Syngenta, que reconhece em sua trajetória valores essenciais para a construção de uma agricultura sustentável. “Podemos dizer, sem dúvidas, que Alysson Paolinelli é o pai da agricultura brasileira moderna. De forma séria e comprometida, atuou em prol de uma agricultura mais sustentável, incentivando a ciência, a pesquisa e o desenvolvimento tecnológico, com respeito ao meio ambiente, à segurança e dignidade do trabalhador rural”, pontua Valdemar Fischer, Chairman do Syngenta Group na América Latina. “Paolinelli conseguiu unir todos os elos essenciais da cadeia do segmento, como políticos, empresários, entidades e produtores, revolucionando o agronegócio no Brasil. Por isso, temos muito orgulho de apoiar sua indicação ao Nobel da Paz”, completa.

O comitê responsável por apurar as indicações ao Nobel da Paz é composto por cinco membros, e agora parte para a segunda etapa da análise, em que se chegará a uma lista de nomeados que avançam no processo, e dentre os quais será escolhido o ganhador. A divulgação do resultado final acontece em 10 dezembro, data da fundação da academia norueguesa que concede a premiação.

 

Sobre a Syngenta

A Syngenta é uma empresa líder no segmento agrícola, que tem como ambição ajudar a nutrir o mundo e cuidar do planeta. Visamos melhorar a sustentabilidade, qualidade e segurança da agricultura por meio de ciência de ponta e soluções inovadoras para os cultivos. Nossas tecnologias permitem que milhões de agricultores em todo o mundo façam melhor uso dos recursos agrícolas disponíveis. Temos 28 mil funcionários em mais de 90 países trabalhando para transformar a forma como os cultivos são plantados e manejados. Por meio de parcerias, colaborações e o The Good Growth Plan, nosso Plano de Agricultura Sustentável, nos comprometemos a aumentar a produtividade nas fazendas, resgatar terras da degradação, promover a biodiversidade e revitalizar comunidades rurais. Para saber mais, acesse www.syngenta.com.br www.portalsyngenta.com.br. Siga-nos no Facebook em facebook.com/SyngentaBrasil/, no Twitter® em @SyngentaBrasil e no Instagram em @SyngentaBrasil.