You are here

Syngenta apresenta conceito inédito para manejo de pragas

Notícia
06.06.2013

Modelo preventivo para controlar infestações de lagartas na safra e na safrinha potencializa resultados positivos em diferentes culturas 

A Syngenta apresenta aos produtores o MEP (Manejo Estratégico de Pragas), um protocolo inédito no mercado para o controle antecipado de infestações de lagartas como a Helicoverpa armigera. A intenção é obter a maior eficiência possível por meio de ações preventivas para três momentos fundamentais da agricultura: durante o cultivo da safra principal (soja e algodão), na safrinha (milho, algodão, trigo, feijão ou girassol, por exemplo) e na fase de pré-plantio, de modo a evitar que o agricultor inicie a plantação já sob a pressão de pragas. 

As ações agrícolas previstas no MEP são conhecidas, mas, integradas ao portfólio de inseticidas da empresa, potencializam os resultados positivos. “São práticas como o monitoramento ininterrupto, controle no cedo, uso de armadilhas luminosas (que permitem conhecer os fluxos migratórios dos insetos), baterias de aplicação, rotação de ativos, barreira fisiológica e manejo químico entre safras e no pré-plantio. O emprego de recursos biotecnológicos na safrinha, como variedades geneticamente modificadas e, para o milho, Agrisure Viptera 3, também faz parte do protocolo”, explica Aimar Pedrini, gerente de Inseticidas da Syngtenta. 

O crescimento das áreas ocupadas com soja (quatro vezes maior desde o começo dos anos 1980) e com as culturas da safrinha (duas vezes maior nos últimos quatro anos) tem provocado em várias regiões a migração das pragas por cultivos diferentes, mudanças comportamentais das espécies, com novos efeitos nocivos nas plantas, e o aumento da diversidade de espécies danosas. “O agricultor, diante deste cenário, tende a aumentar, por conta própria, o número de aplicações, a dosagem e as misturas de inseticidas, atitudes ineficientes e que implicam elevação do custo”, afirma Pedrini. 

O MEP foi planejado em parceria com especialistas do SEAG (Syngenta Entomological Advisory Group) e supervisionado por Walter Jorge, entomologista, pesquisador e consultor. O desenvolvimento e a validação do conceito ocorreram durante as duas últimas safras em áreas piloto do Cerrado brasileiro. O lançamento oficial foi feito no mês passado, no Encontro Técnico da Fundação MT. Este mês e em julho, o projeto será divulgado a consultores, distribuidores e produtores por meio de palestras e apresentações. São pelo menos 160 eventos que devem impactar aproximadamente 5 mil profissionais e abranger mais de 90% da área de plantio de grandes culturas no Brasil. 

Sobre a Syngenta 
A Syngenta é uma das maiores empresas do mundo, com mais de 27.000 funcionários em mais de 90 países dedicados ao nosso propósito: trazer o potencial das plantas para a vida. Por meio de ciência de ponta, alcance global e compromisso com nossos clientes, ajudamos a aumentar a produtividade das plantações, proteger o meio ambiente e melhorar a saúde e a qualidade de vida. Para mais informações sobre nós, acesse www.syngenta.com