You are here

Syngenta: Resultados de 2013

Notícia
06.02.2014
  • Vendas de US$ 14,7 bilhões, com crescimento de 3% e aumento de 5% a taxas de câmbio constantes
  • Aumento de 6% nas vendas integradas
    • crescimento excluindo os royalties do evento de milho de controle da larva diabrótica de 8%1
  • EBITDA de US$ 2,9 bilhões: queda de 7%
    • queda na receita de royalties, custos não recorrentes com sementes
  • Lucro por ação2 de US$ 19,30: queda de 12%
  • Aumento de 5% nos dividendos propostos para CFH 10,00
  • Novo programa para acelerar a alavancagem operacional: economia de aproximadamente US$ 1 bilhão até 2018

Mike Mack, presidente, disse:   “Nos últimos três anos, implementamos um novo modelo de negócios integrado, que implicou mudanças em ritmo acelerado em toda a nossa empresa. Já estamos colhendo benefícios tangíveis da alavancagem de uma força de vendas combinada, que produziu resultados claros em vários territórios, com crescente aceitação das nossas ofertas integradas no campo. Entretanto, o nosso desempenho financeiro em 2013 ficou aquém das expectativas. Embora isso tenha sido principalmente resultado de custos não recorrentes em nosso negócio de sementes, estamos determinados a intensificar nosso foco na eficiência de capital e custos, ao mesmo tempo em que mantemos nossas metas ambiciosas de crescimento. Hoje estamos anunciando um programa para acelerar a alavancagem operacional em toda a organização.” “Nossa taxa de crescimento nos últimos três anos esteve em linha com nossa meta de vendas para as oito principais culturas, de US$ 25 bilhões em 2020. Todos os anos temos atingido crescimento de dois dígitos nos mercados emergentes, onde o enorme potencial para o aumento da produtividade está ditando o ritmo acelerado de adoção de tecnologia. Ao mesmo tempo, o crescimento em mercados desenvolvidos tem sido sustentado pela força da nossa equipe de campo e pela inovação. À medida que continuamos a trazer grandes novos produtos ao mercado, ao mesmo tempo em que aumentamos a escala de nossas ofertas.

Destaques Financeiros de 2013   Vendas de US$ 14,7 bilhões As vendas aumentaram 5% a taxas de câmbio constantes, com um aumento de 3% no volume e de 2% nos preços. As vendas integradas subiram 6%. As vendas integradas cresceram 8% ajustadas pela receita dos royalties do evento de milho de controle da larva diabrótica em 2012.  

EBITDA de US$ 2,9 bilhões O EBITDA caiu 7%, acompanhado por uma margem EBITDA de 19,7% (2012: 21,9%). Os fatores que mais afetaram a lucratividade foram: queda na receita de royalties; um aumento de US$ 175 milhões nos custos de produção de sementes após a estiagem nos EUA em 2012; e uma baixa de US$ 170 milhões no estoque de sementes.

Despesas financeiras líquidas e tributação A despesa financeira líquida de US$ 200 milhões (2012: US$ 147 milhões) incluiu o custo mais alto de hedge em um período de volatilidade cambial em mercados emergentes. A alíquota dos impostos antes da reestruturação e da perda do valor recuperável (impairment) permaneceu inalterada em 15%. Lucro líquido de US$ 1,6 bilhão O lucro líquido incluindo a reestruturação e a perda do valor recuperável (impairment) foi 11% inferior. O lucro por ação, excluindo a reestruturação e a perda do valor recuperável (impairment), caiu 12% para US$ 19,30.

Fluxo de caixa e balanço patrimonial O fluxo de caixa livre de US$ 385 milhões refletiu a queda no EBITDA e o aumento no capital de giro. O capital de giro líquido médio como porcentagem das vendas aumentou de 35% em 2012 para 40% em 2013. O CAPEX incluindo investimento em ativos intangíveis totalizou US$ 727 milhões (2012: US$ 679 milhões). Os gastos com aquisições de US$ 140 milhões foram significativamente mais baixos que o valor recorde de US$ 654 milhões registrado em 2012. O fluxo de caixa gerado pelos investimentos de 13% mais uma vez superou a meta de 12%. A relação entre dívida líquida e patrimônio foi de 24% (2012: 19%).

Dividendos e recompra de ações O retorno de caixa aos acionistas totalizou US$ 987 milhões em 2013. Os dividendos tiveram aumento de 19%, ou 16% em dólares norte-americanos, perfazendo US$ 921 milhões. As recompras de ações atingiram US$ 66 milhões. O Conselho de Administração irá propor à AGO de 29 de abril de 2014 um aumento nos dividendos de CHF 9,50 por ação em 2012 para CHF 10,00 em 2013. Isso representa um aumento de 5% em francos suíços e de aproximadamente 11% em dólares norte-americanos às taxas de câmbio do fim de janeiro, com uma taxa de remuneração de 58%. A decisão de aumentar os dividendos, apesar do valor modesto do lucro por ação, reflete a confiança da Companhia na geração de caixa neste ano. Como nos anos anteriores, a Companhia tem a flexibilidade de executar recompras de ações táticas.

Europa, África e Oriente Médio: Um primeiro trimestre forte foi seguido por uma primavera fria, que reduziu o número de aplicações de proteção de cultivos. A França, especificamente, registrou forte demanda por fungicidas no começo do ano, com crescimento alavancado pelo sucesso do nosso portfólio de herbicidas em cereais e no milho. As vendas na Itália e na Península Ibérica melhoraram após as restrições econômicas e a estiagem de 2012 com ganhos de participação de mercado em ambos os territórios. O crescimento de dois dígitos na CEI (Comunidade dos Estados Independentes) refletiu a intensificação atual da agricultura e a nossa posição de liderança, especialmente no mercado de girassóis. O sudeste da Europa também registrou forte expansão, com crescimento amplo em todo o portfólio e introdução de novas ofertas.

América do Norte: A progressão das vendas foi afetada pela redução da receita de royalties de eventos: as vendas excluindo royalties subiram 5%. O desempenho saudável na proteção de cultivos teve como destaque o tratamento de sementes, refletindo o lançamento bem-sucedido de VIBRANCE® para cereais, canola e soja. A forte demanda por herbicidas seletivos foi impulsionada pela crescente preocupação com plantas daninhas resistentes ao glifosato. A umidade em parte dos EUA reduziu a pressão de insetos. As vendas de sementes no primeiro semestre foram limitadas pela disponibilidade reduzida de novos híbridos após a estiagem de 2012. No segundo semestre, as sementes registraram crescimento de dois dígitos.

América Latina: A América Latina registrou bom crescimento, alavancado principalmente pelo Brasil, onde o preço resiliente da soja e a desvalorização do real sustentaram a lucratividade dos produtores. O nosso portfólio de sementes de soja está em expansão e registrou ganhos significativos com o lançamento de novas variedades. A taxa de crescimento do quarto trimestre é reflexo de um atraso no registro de um fungicida e da queda nas vendas de sementes de milho no Brasil devido à redução da área plantada e também a medidas de gestão de risco na Argentina e na Venezuela. No sul da América Latina, o milho foi o maior responsável pelo crescimento de sementes no ano; as vendas foram alavancadas por novas combinações de características e uma equipe de campo combinada. O valor das sementes vendidas na região aumentou, assim como a demanda pelo tratamento de sementes, especialmente CRUISER® e CELEST®. As vendas de TOUCHDOWN® aumentaram substancialmente, refletindo a expansão de cultivos tolerantes a herbicidas e a escassez na oferta de glifosato. As vendas de proteção de cultivos para a cana-de-açúcar mantiveram a sua tendência de crescimento sólido apesar do cenário desafiador para o álcool.

Ásia-Pacífico: o ritmo de crescimento acelerou no quatro trimestre com desempenhos de venda particularmente fortes na ANSEA (Associação das Nações do Sudeste Asiático) e no sul da Ásia. O crescimento de dois dígitos em mercados emergentes em 2013 refletiu a adoção de fungicidas e inseticidas modernos. Houve grande demanda por milho, vegetais e cereais no sul da Ásia, impulsionada pelo início da estação de monções antes do esperado. Em países da ANSEA, como a Tailândia e a Indonésia, as vendas de arroz se beneficiaram do sucesso dos protocolos GROMORE™: as sementes de milho também tiveram rápida expansão acompanhada por CRUISER®. A China registrou crescimento principalmente em herbicidas, tratamentos de sementes e fungicidas, e AMISTAR® deu uma contribuição significativa após seu novo lançamento para arroz. Os mercados desenvolvidos da região apresentaram crescimento moderado.

Todos os comentários de vendas são baseados em taxas de câmbio constantes.

Desempenho do segmento Law and Garden   - Vendas de US$ 691 milhões, queda de 7%

  • EBITDA de US$ 154 milhões (2012; US$ 102 milhões)
  • Margem EBITDA de 22,2% (2012: 13,4%) Excluindo o impacto de aquisições e alienações, as vendas subiram 5% impulsionadas pelo forte desempenho da categoria Turf & Landscape. A simplificação do negócio para focar em química e genética de alto valor resultou em uma margem EBITDA acima da meta de 20% estabelecida para 2015.

Eficiência operacional Em 2013, o programa de eficiência operacional anunciado em 2011 gerou uma economia acumulada de US$ 460 milhões, ligeiramente acima da meta. Estamos próximos de conseguir economizar mais US$ 115 milhões em 2014 e de alcançar a meta do programa de US$ 650 milhões em economias anualizadas em 2015. Hoje a companhia está anunciando um novo programa para acelerar a alavancagem operacional após 2015 à medida que o modelo de negócios integrado aumenta em escala. O programa foca em três áreas principais: - Operações que têm contato com clientes

  • Economias na produção e ganhos de eficiência
  • Eficiência em pesquisa e desenvolvimento O programa tem como meta melhorar a margem EBITDA e reduzir significativamente o capital de giro. Os ganhos de eficiência anualizados em 2018 devem ficar em torno de US$ 1 bilhão. O custo total do programa está estimado em aproximadamente US$ 900 milhões.  

Aquisições e alienações Em março, a aquisição da Devgen, anunciada em setembro de 2012, foi concluída após uma bem-sucedida oferta pública de aquisição. A aquisição reforça a posição de liderança da Syngenta no mercado global de arroz e permitirá o desenvolvimento de soluções baseadas em RNAi. Em 3 de julho, a Syngenta anunciou aquisição da MRI Seed Zambia Ltd e da MRI Agro Zambia, um dos maiores desenvolvedores, produtores e distribuidores de sementes de milho branco na Zâmbia. Ao desenvolver e aumentar a disponibilidade das variedades de milho branco da MRI em outros mercados do leste da África, a Syngenta planeja contribuir para a segurança alimentar na região. A rede de distribuição da MRI também irá facilitar a introdução de ofertas integradas, incluindo a proteção de cultivos e o tratamento de sementes. Em 17 de dezembro, a Syngenta anunciou a venda do seu negócio de produtos frescos na Fazenda Dulcinea para a Pacific Trellis Fruit LLC. As vendas anuais da Dulcinea giram em torno de US$ 80 milhões. A venda possibilitará à Syngenta focar na oferta de inovação aos produtores e à cadeia de valor de alimentos. A Syngenta continuará a fornecer variedades de sementes de minimelancias e melões especiais para a Dulcinea.

Novas parcerias Em maio, a Syngenta assinou um Memorando de Entendimentos (MOU, na sigla em inglês) com a Agência dos EUA para Desenvolvimento Internacional (USAID, na sigla em inglês) para apoiar atividades de agricultura e segurança alimentar na África, Ásia e América Latina. De acordo com o MOU, a USAID e a Syngenta irão colaborar com atividades de pesquisa e desenvolvimento, e treinamento de pequenos produtores rurais, trabalhando com parceiros-chave no setor de agricultura e segurança alimentar. A Syngenta e a USAID já trabalham juntas em muitos países. Ainda em maio, a Syngenta e a DuPont assinaram um contrato de licenciamento de produto químico que permite à Syngenta ter acesso ao ingrediente ativo oxatiapiprolina, que oferece um modo de ação diferente para controlar doenças em uma variedade de culturas. A DuPont agora tem acesso ao Solatenol™ da Syngenta para determinadas misturas no Brasil, o que irá contribuir para maximizar a cobertura do mercado para este produto após o seu lançamento.

Culturas Em 2013, a Syngenta concluiu uma série de atualizações sobre cada uma de suas oito principais culturas. Os eventos realizados na Rússia e no Brasil destacaram o perfil de nossas ofertas integradas para culturas extensivas diversas, soja, culturas especiais e cana-de-açúcar. Essas culturas juntas representam mais de US$ 12 bilhões da meta de vendas integradas de US$ 25 bilhões para 2020.

Perspectivas   Mike Mack, Presidente, disse:   “Em 2014, esperamos que as vendas mantenham um ritmo de crescimento parecido com o de 2013. A margem bruta deve melhorar com a queda nos custos de sementes, incluindo a não repetição da provisão de estoque de 2013. Uma melhora na margem bruta e economias de custos com o programa atual de eficiência operacional irão compensar investimentos adicionais em crescimento, e os gastos com pesquisa e desenvolvimento devem ficar perto da previsão máxima de 9% a 10%. O crescimento do lucro aliando ao maior foco em eficiência do capital de giro devem aumentar significativamente o fluxo de caixa livre antes de aquisições para aproximadamente US$ 1,5 bilhão.” “Estamos bem posicionados para alcançar a nossa meta de US$ 25 bilhões em vendas em 2020. Em 2015, esperamos ficar perto do limite inferior do intervalo da nossa meta de margem. Iremos acelerar a alavancagem operacional por meio de ganhos de eficiência significativos, que nos permitirão aumentar a meta para a margem EBITDA para 24%-26% até 2018. Além disso, esperamos que geração de fluxo de caixa livre sólida se mantenha e estamos comprometidos com o aumento do retorno de capital aos acionistas, principalmente por meio de aumentos nos dividendos.”

Os herbicidas para milho tiveram um crescimento substancial, liderados por CALLISTO® nos EUA, impulsionado pelo seu sucesso como parte das ofertas de gestão de resistência a plantas daninhas. BICEP II MAGNUM®, que também atua no milho, cresceu fortemente na CEI e na França. AXIAL®, para cereais, manteve o seu ritmo de expansão na América do Norte e continuou a crescer na Europa, sendo que esse crescimento foi liderado pela França.

Herbicidas não seletivos: principais marcas: GRAMOXONE®, TOUCHDOWN® O crescimento foi representado principalmente por TOUCHDOWN®. A forte demanda e a escassez da oferta levaram a ganhos significativos de volumes e de preços. O Brasil foi o mercado que mais contribuiu para esse desempenho, pois as vendas no país mais que dobraram. As vendas de GRAMOXONE® também registraram crescimento; o aumento da demanda levou a um crescimento de dois dígitos na Ásia-Pacífico e no Brasil.

Fungicidas: principais marcas: ALTO®, AMISTAR®, BRAVO®, ELATUS™, REVUS®, RIDOMIL GOLD®, SCORE®, SEGURIS®, TILT®, UNIX® SEGURIS®, o novo fungicida SDHI (sigla em inglês para inibidor da succinato desidrogenase) para cereais foi o principal responsável pelo crescimento - suas vendas quase triplicaram. As vendas da tecnologia AMISTAR® cresceram mais de 20% na Ásia-Pacífico com um novo lançamento para arroz na China e a rápida adoção em países da ANSEA. O Canadá também registrou forte crescimento no mercado de batata e cereais. Uma queda nas vendas de fungicidas no quarto trimestre refletiu um atraso no registro, no Brasil, do novo produto ELATUS™, baseado no ingrediente ativo Solatenol™. 

Inseticidas: principais marcas: ACTARA®, DURIVO®, FORCE®, KARATE®, PROCLAIM®, VERTIMEC® As vendas foram lideradas pela Ásia-Pacífico e pela América Latina, onde o crescimento acelerou no quarto trimestre com a adoção contínua de tecnologia e a alta pressão de insetos no Brasil. Nos EUA, a pressão de insetos foi baixa, levando a uma queda nas vendas de ACTARA®. Em termos globais, a maior contribuição veio do novo produto DURIVO®, com crescimento de vendas de mais de 40% e expansão em todas as regiões.

Tratamento de sementes: Principais marcas: AVICTA®, CRUISER®, DIVIDEND®, CELEST®/MAXIM®, VIBRANCE® VIBRANCE®, baseado no fungicida SDHI sedaxane, foi lançado globalmente em várias culturas, sendo que as contribuições mais significativas vieram do Canadá e EUA. CRUISER® continuou a registrar forte crescimento da demanda na América Latina e Ásia-Pacífico, mais que compensando a queda na Europa devido à suspensão de registro de neonicotinoides pela União Europeia.

Milho e soja: principais marcas: AGRISURE®, GOLDEN HARVEST®, NK® As vendas caíram devido a não recorrência de royalties para o evento 604 de controle da larva diabrótica totalizando US$ 256 milhões no primeiro semestre de 2012. Excluindo os royalties, as vendas subiram 7% em 2013. As vendas nos EUA também foram afetadas por uma oferta limitada após a estiagem excepcional em 2012. Com relação ao milho, nossas características líderes continuam conquistando uma aceitação cada vez maior na América Latina. Os híbridos não-GM impulsionaram o crescimento na ANSEA, onde as vendas subiram 40%, e na CEI. Já em relação à soja, a queda nas vendas nos EUA foi compensada por um crescimento substancial no Brasil, com expansão da área plantada e introdução da nossa nova variedade para o grupo de oito culturas principais.

Culturas extensivas diversas: principais marcas: NK® para canola, HILLESHÖG® para beterraba-sacarina. O excelente desempenho de girassóis na CEI e no sudeste da Europa refletiu o reconhecimento do mercado para os híbridos líderes da Syngenta, assim como condições favoráveis para as plantações da primavera e intensificação contínua. A aquisição da Sunfield contribuiu para as vendas de girassóis no quarto trimestre. As vendas de beterraba-sacarina caíram em razão da redução da área. Na Ásia-Pacífico, as vendas de arroz mais que dobraram refletindo principalmente a aquisição da Devgen, assim como a adoção contínua do programa TEGRA®. 

Vegetais: principais marcas: ROGERS®, S&G® Uma melhora gradual nos mercados desenvolvidos foi acompanhada pelo rápido crescimento nos mercados emergentes da África, Oriente Médio e América Latina, onde a demanda pelos nossos portfólios de brócolis e tomate foi particularmente alta.

A versão completa dos Resultados de 2013 está disponível aqui e uma apresentação ilustrando os resultados também estará disponível a partir de, no máximo, 07:30 (CET). Anúncios e reuniões

Publicação do Relatório Anual de 2013  19 de março de 2014
Demonstrações Financeiras do Primeiro Trimestre de 2014 16 de abril de 2014
Assembleia Geral Ordinária 29 de abril de 2014
Resultados do Primeiro Semestre de 2014 23 de julho de 2014
Demonstrações Financeiras do Terceiro Trimestre de 2014 16 de outubro de 2014

 Sobre a Syngenta A Syngenta é uma das maiores empresas do mundo, com mais de 28.000 funcionários em mais de 90 países dedicados ao propósito de trazer o potencial das plantas para a vida. Por meio de ciência de ponta, alcance global e compromisso com nossos clientes, ajudamos a aumentar a produtividade das plantações, proteger o meio ambiente e melhorar a saúde e a qualidade de vida. Para mais informações sobre nós, acesse www.syngenta.com.br.  Ressalvas sobre declarações futuras Este documento contém declarações sobre o futuro, as quais podem ser identificadas em termos como "esperar", "iria", "irá", "potencial", "planos", "perspectivas", "estima", "objetivo", "no caminho" e expressões semelhantes. Tais declarações podem estar sujeitas a riscos e incertezas que podem levar os resultados reais a serem materialmente diferentes em relação a essas declarações. Recomendamos a consulta dos documentos que a Syngenta arquiva com a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA, os quais estão disponíveis ao público e contêm mais informações sobre estes e outros riscos e incertezas. A Syngenta não assume nenhuma obrigação de atualizar as declarações sobre o futuro para refletir os resultados reais, mudanças em premissas ou outros fatores. Este documento não constitui, ou faz parte de qualquer oferta ou convite para vender ou emitir, ou qualquer solicitação de qualquer oferta para adquirir ou subscrever ações ordinárias da Syngenta AG, ou ADSs da Syngenta, nem deve constituir a base de qualquer contrato, ou ser invocado em ligação com qualquer contrato.